domingo, 16 de dezembro de 2007

O CÂNTICO ALEGRE DOS LIBERTOS

Texto Bíblico: Isaias 12.1-6 [1]

INTRODUÇÃO
Ø Natal é tempo de alegria apesar de tudo. É tempo de expressar o que de mais importante existe: A verdadeira vida que se manifestou para que todos possam viver, sem impedimentos.
Ø Natal é tempo de júbilo, de cânticos e de intenso sorriso: Porque chegou o tempo da libertação de todas as amarras.
Ø É no Advento que o preparo para a festa da revelação libertadora, não somente um dia do ano, mas em toda a existência, acontece.

EXPLICAÇÃO DO TEXTO
Ø O texto bíblico que acabamos de ler é um hino que se acha dividido em duas estrofes:
o Um solista entoa a primeira parte, repetindo três vezes “SALVAÇÃO”;
o Convida-se o coro a honrar o Santo de Israel.
Ø O hino começa com ação de graças, não por causa da ira, mas porque a ira justa e merecida foi retirada, e o consolo do Senhor deu vida ao povo (v. 1).
Ø No v. 2 há a recordação do Êxodo do povo de Israel (15.2). É uma citação tirada do refrão do cântico de Moisés, lembrando a grande libertação do cativeiro egípcio. Com a experiência do consolo interior e da salvação objetiva, o temor cede lugar à confiança.
Ø A salvação é descrita como fonte inesgotável. Pode evocar as fontes miraculosas do deserto (Ex 17.6), tendo Deus como a fonte sempre perene.
Ø Assim, não é mais trabalho penoso ir tirar água da fonte, como nos tempos de cativeiro, por exemplo.
Ø Quanto a nome do Eterno, este nome revelado de maneira profundamente libertadora, é revelado para invocação, adquirido por suas proezas e que o povo da Aliança deve propagar pelo mundo inteiro.
Ø A presença do Santo de Israel no meio do povo é o fundamento da vida salva, e por isso, o cântico alegre dos libertos।

1 – TEM COMO BASE A SALVAÇÃO DO DEUS LIBERTADOR
A) Somente no Senhor Israel encontrou a salvação; a libertação das prisões que faziam o povo gemer de dor e chorar profundamente.
B) A salvação não pode ser conquistada pelo homem, pois ela é somente de Deus.
C) Ninguém, por suas próprias forças, pode adquirir a libertação, redimensionando a sua vida para Deus se não for pela ação do próprio Deus.

2 – RESULTA EM CONTÍNUO TESTEMUNHO DE VIDA
A) Testemunho de vida é entrega a Deus e ao seu serviço. É proclamar por toda parte o que ele realizou e realiza.
B) É tornar manifesto por toda a terra os feitos do Senhor, fazendo a recordação do seu nome que é excelso.
C) Ninguém deve fazer a obra de Deus com tristeza, mas com alegria, pois ele é quem dá a vida e tudo o ela precisa.
D) Felizes são os que anunciam a Boa Nova de grande alegria.

3 – RECONHECE QUE O DEUS LIBERTADOR É PRESENTE
A) O Santo de Israel não é somente do passado, mas também do presente; e quanto ao futuro a vida está nas suas mãos.
B) Deus não está preso ao tempo. Ele é eterno. Ele é onisciente, onipresente e onipotente.
C) Todas as pessoas são convidadas para o reconhecimento de que Deus é presente. Exultar de forma jubilosa, porque o Eterno é Criador e Libertador.

CONCLUSÃO
Ø A Salvação que foi revelada em Jesus Cristo o Senhor do Natal é o ato do próprio Deus que se revelou para devolver a alegria da vida.
Ø A pessoa liberta, propaga os feitos do Senhor com júbilo, pois é a forma de serviço ao Reino de Deus.
Ø O cântico alegre do liberto revela que Deus é presente para salvar e confortar.
Ø E assim se manifestou a graça salvadora a todas as pessoas, para que no tempo oportuno que é hoje, há grande libertação।

[1] ROCHA, Nelson Célio de M. (Rev.). Rio de Janeiro, dezembro de 2007.