sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

CONVITE ESPECIAL AOS AMIGOS

AULA MAGNA NA FAECAD

Convido a todos para a AULA MAGNA NA FAECAD - FACULDADE EVANGÉLICA DE CIÊNCIAS, TECNOLOGIA E BIOTECNOLOGIA DA CGADB.
Data: 06 de fevereiro de 2012, às 09h00 e às 20h00, no Auditório do Júri.

Ministrante: Dr. Paulo Severino da Silva Filho, Mestre e Doutor em Teologia Bíblica pela PUC-Rio de Janeiro. Especialista em Antigo Testamento.

Você não pode perder essa oportunidade.


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

JÜRGEN MOLTMANN NA FAECAD


Presença marcante de Jürgen Moltmann na FAECAD - Faculdade de Teologia das Assembleias de Deus do Brasil.

Data: 31 de agosto de 2011 às 09h00

Endereço: Av. Vicente de Carvalho, 1083 - Vila da Penha - Rio de Janeiro

Entrada FRANCA

JÜRGEN MOLTMANN (1926-)

Jürgen Moltmann é um dos principais teólogos Luteranos contemporâneos. Ele nasceu em 1926 em Hamburgo, Alemanha. Moltmann lutou na II Guerra, foi feito prisioneiro pelos ingleses e foi levado para um campo de concentração na Inglaterra. Moltmann de 1945-1948, esteve prisioneiro dos aliados na Bélgica e na Inglaterra. Esses anos de prisão levaram-no a refletir sobre o sentido da vocação cristã. Em 1948 voltou a Alemanha e foi estudar teologia. A partir de 1952, atuou como pastor da Igreja Luterana. Desde 1967, foi professor de teologia sistemática na Universidade de Tubinga. Moltmann é um escritor prolífico, centrado integralmente em “olhar a teologia sob um ponto de vista particular: a esperança. É uma contribuição sistemática à teologia, na qual considera o contexto e a correlação que os diferentes conceitos têm no campo da teologia”. Moltmann dedicou-se e ainda se dedica a lecionar teologia em universidades. Moltmann é o criador da 'Teologia da Esperança', em que desenvolve as ideias da realização do Reino, como promessa fundamental de Deus. Ele também destaca muito a importância do mistério da cruz. Moltmann é casado e tem quatro filhos.
Suas principais obras são:

- Teologia da Esperança;
- O Deus Crucificado;
- A Igreja na Força do Espírito;
- Conversão ao Futuro;
- A Vinda de Deus
Suas obras:

Teologia da esperança (1964), que o torna conhecido como um dos grandes teólogos de hoje na linha de Barth e de Bultmann. Nela confirma a importância que a escatologia tem na doutrina do Novo Testamento; a escatologia, não como crença em fatos concretos que devem acontecer nos finais dos tempos, mas como fator que modela toda a teologia cristã. Tal perspectiva escatológica do cristianismo é interpretada como promessa, como plataforma para a futura esperança. É base para uma transformação antecipada do mundo da nova terra prometida. A meta da missão cristã não é simplesmente uma salvação individual, pessoal, nem sequer espiritual; é a realização da esperança da justiça, da socialização de toda a humanidade e da paz do mundo. Esse outro aspecto de reconciliação com Deus pela realização da justiça foi descuidado pela Igreja. A Igreja deve trabalhar por essa realização, baseada na esperança futura.

O Deus Crucificado (1972) expõe a doutrina de Deus a partir da perspectiva da cruz. O Deus cristão é um Deus que sofre de amor. Não é um sofrimento imposto de fora — pois Deus é imutável —, mas um sofrimento de amor, ativo. É um sofrimento aceito, um sofrimento de amor, livre, ligado ao Deus sofredor de Auschwitz e do extermínio judeu. A esse livro deve-se acrescentar A Igreja no poder do Espírito (1975). Neste estuda a atividade reconciliadora de Deus no mundo, vista sob a perspectiva da Ressurreição, da Cruz e de Pentecostes. “A Igreja — diz Moltmann — deve estar aberta a Deus, aos homens, e aberta ao futuro tanto de Deus quanto dos homens. Isso pede da Igreja não uma simples adaptação às rápidas mudanças sociais, mas uma renovação interior pelo Espírito de Cristo e a força do mundo futuro.” Isso faz com que a Igreja tenha de ser Igreja de Jesus Cristo e Igreja missionária. Deve ser também uma Igreja ecumênica, que quebre as barreiras entre as Igrejas. E deve ser também política: a dimensão política — agrade ou não — sempre existiu nela. A Teologia da Libertação ensina a Igreja a tomar partido pelos pobres e humilhados deste mundo.

Finalmente, em A Trindade e o Reino de Deus (1980) estuda o mistério da Trindade de Deus fazendo “uma história trinitária”. Examina a paixão de Cristo e vê, no abandono de Cristo na cruz por Deus, o centro da fé cristã. “Deus é abandonado por Deus.” Apóia a sua doutrina social na “Doutrina Trinitária do Reino”, baseada nas idéias de Joaquim de Fiore, elaborando assim uma “Doutrina Trinitária da Liberdade”.
A obra de Moltmann pressupõe uma revitalização e um aprofundamento da teologia cristã.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Marque o seu evento

Agende um encontro conosco em qualquer parte no nosso Brasil.
Os nossos cursos são:
- Tópicos Fundamentais de Teologia Sistemática
- Antropolgia Cultural
- Antropologia Filosófica
- Antropologia Teológica
- Didática do Ensino Superior
- Didática para o Ensino na Escola Dominical
- Ética e Religião
- Ética Cristã
- Apologética Cristã
- Teologia Contemporânea
- Homilética
- Teologia Bíblica

Curso de Ética e Religião na FAFITEAL

Estive na linda e acolhedora cidade de Maceió - AL, ministrando Curso de ÉTICA E RELIGIÃO, nos dias 1 e 2 de julho de 2011, na FAFITEAL - Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas. Estiveram presentes mais de 100 participantes: líderes de diversos segmentos eclesiásticos de Maceió.
O nosso abraço ao Pr. Sebastião que nos recebeu de braços abertos, juntamente com toda a sua equipe de professores e alunos.
Deus a todos abençoe.


 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

TEMPO DE RECONSTRUIR


Texto bíblico: Neemias 2.1-18 - Dr. Nelson Célio de Mesquita Rocha

Introdução
  • A palavra que mais ocupa o pensamento, diante dos acontecimentos é “RECONSTRUÇÃO”.
  • QUANTO VAI CUSTAR PARA COMEÇAR TUDO DE NOVO?
  • Seja por causa de uma enchente...
  • Seja por causa de uma doença...
  • Seja por causa de um teto que desabou e a casa precisa ser reformada...
  • Seja por causa de um casamento falido, de um emprego perdido, de um relacionamento acabado, de um pecado cometido, de um deslize moral, de uma confiança perdida?
  • QUANTO VAI CUSTAR?
  • TODOS NÓS NOS SENTIMOS MUITAS VEZES COM VONTADE DE RECOMEÇAR.

Explicação
  • Neemias, que significa “O Senhor consola”, exerceu o cargo de copeiro do rei Artaxerxes I, viveu no reinado desse grande rei da Pérsia, que dominava o mundo quase na metade do Séc. V a.C. por volta de Março a Abril de 445 a.C.
  • Neemias provavelmente era da Tribo de Judá, descendente de Davi e nascido no cativeiro. Foi cercado por todas as influências corruptas daquela época. Servia como copeiro do rei. Um dos atributos de Neemias era provar a bebida do rei para livrá-lo de um envenenamento e vigiar seus aposentos quando ele dormia. Para exercer esta função, a pessoa deveria ter discrição, sabedoria e habilidade. Neemias exercia grande influência sobre o rei, era uma espécie de conselheiro.
  • Um dia Neemias recebeu a visita de seu irmão Hanani, que vinha de Judá e trazia notícias de seu povo que lá ficara. Havia fome e desgraça em sua terra e os muros de Jerusalém estavam em ruínas, e isso bastou para que Neemias tomasse uma atitude. Mesmo sem ter, a princípio, nenhum acesso ou facilidade para ajudar aquele povo e sua terra, ele teve iniciativa, e a partir daí começou a dar forma ao seu projeto de reconstrução dos muros. 
  • O primeiro acerto de Neemias foi ter se identificado com o problema. Sentiu a dor de seu povo. Sentiu o peso da responsabilidade e não conseguiu ficar indiferente a isso. Isso reforçou nele a convicção do propósito e consequentemente a persistência para reerguer os muros, mesmo diante de toda dificuldade.
  • O segundo grande acerto foi buscar socorro de Deus em oração e mais em nenhum outro lugar. Somente quando se sentiu liberado por Deus é que apresentou o problema diante do rei. Depois de quatro meses de oração ele já tinha todo plano em mente. 
  • Ao chegar a Jerusalém, Neemias encontrou um povo desanimado, dividido (pois os judeus ricos exploravam os judeus pobres) e praticando as mesmas coisas que os levaram ao cativeiro, que ocorreu em 586 a.C. sob o controle babilônico. 
  • O procedimento que Neemias usou para animar e gerar uma unidade naquele povo para realizar uma tarefa aparentemente impossível (a reconstrução em 52 dias), pode ser aplicado até hoje, nas diversas áreas e ocasiões da vida.
 1. PERCEBER E ENFRENTAR A REALIDADE -  Ne 1:1-4 2:13-15
  •  Neemias fica sabendo da desgraça em Jerusalém, e resolve fazer alguma coisa para restaurá-la (v. 3).
  • O templo já havia sido restaurado por Esdras, completado por volta de 516 a.C. Já era por volta de 445 e os muros continuavam derrubados, quando chega Neemias para fazer a obra que ficou para trás, ou melhor, 71 anos especificamente a cidade ficou sem proteção alguma.
  • OS MUROS E OS PORTÕES TINHAM UM SIGNIFICADO PROFUNDO PARA A VIDA DA CIDADE.
  • OS MUROS eram os protetores da cidade –- Era a proteção para tudo aquilo que de precioso a cidade possuía – Pessoas e bens – riquezas. O inimigo demorava até 6 meses para entrar na cidade.
  • PORTÕES – Era o SINAL DE RIQUEZA DA CIDADE.
  • COMO POSSO COMEÇAR DE NOVO? COMO POSSO RECONSTRUIR?
2. INICIAR O PROJETO DE RECOSNTRUÇÃO SOB ORAÇÃO – v.
  • O povo de Israel estava no cativeiro por deixar Deus de lado e correr atrás de outros deuses; esqueceu-se do Criador dos céus e da terra – 2.7-9.
  • Quando se ora também se aprende que não se pode confiar na vida como uma rota perfeitamente administrável e previsível. Há surpresas. Algumas trazem imensa alegria, outras tristezas.
  • Uma das coisas mais notáveis sobre Neemias é que ele foi capaz de enxergar o problema e a solução sem nunca ter estado em Jerusalém.
  • Mas, não tomou nenhuma decisão sem antes confiar tudo nas mãos de Deus.
3.     CONTAR COM AMIGOS, APEGAR-SE À PALAVRA, CORRER OS RISCOS E COMEÇAR COM COMPROMETIMENTO
  •  É preciso aprender que o Tempo de Reconstruir não se faz em um evento, nem em uma determinada fase da vida. Acontece sempre!
  • Aprender que, diante da vida, rico é aquele que é sensível a Deus e possui amigos. 
  • Quem é sensível a Deus consegue enxergá-lo no meio da escuridão.
  • Enxergando-o, consegue-se ter confiança de que haverá caminho.
  • Quem possui amigos, destrói uma das maiores peçonhas que nos fazem sofrer: a solidão. 
  • Aprender que, no meio da dor e sofrimento, além de lágrimas, precisam existir projetos. 
  • Aprender que, quando em meios aos sofrimentos, o melhor remédio é buscar consolar a dor do outro. No meio de nossa dor temos a sensação de que ninguém mais sofre com intensidade
    maior do que nós. E nos isolamos. É preciso compartilhar. É nesse momento que brota a verdadeira adoração e o verdadeiro louvor.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Venha para a FAECAD

rádio ao vivo: Rádio CBN - Rio de Janeiro

rádio ao vivo: Rádio CBN - Rio de Janeiro

Almeida Revista e Corrigida - Wikipédia, a enciclopédia livre

Almeida Revista e Corrigida - Wikipédia, a enciclopédia livre

Bíblia Online

Bíblia Online

"A VOZ DE DEUS"

Salmos 29

  1. Tributai ao SENHOR, filhos de Deus, tributai ao SENHOR glória e força.
  2. Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.
  3. Ouve-se a voz do SENHOR sobre as águas; troveja o Deus da glória; o SENHOR está sobre as muitas águas.
  4. A voz do SENHOR é poderosa; a voz do SENHOR é cheia de majestade.
  5. A voz do SENHOR quebra os cedros; sim, o SENHOR despedaça os cedros do Líbano.
  6. Ele os faz saltar como um bezerro; o Líbano e o Siriom, como bois selvagens.
  7. A voz do SENHOR despede chamas de fogo.
  8. A voz do SENHOR faz tremer o deserto; o SENHOR faz tremer o deserto de Cades.
  9. A voz do SENHOR faz dar cria às corças e desnuda os bosques; e no seu templo tudo diz: Glória!
  10. O SENHOR preside aos dilúvios; como rei, o SENHOR presidirá para sempre.
  11. O SENHOR dá força ao seu povo, o SENHOR abençoa com paz ao seu povo.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

"Brasil como o primeiro país tropical desenvolvido"


Novo ministro de Ciência e Tecnologia empossado hoje

2011-01-03
Ministro promete grande desafio de sustentabilidade ambiental.O novo ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, hoje empossado no cargo, defendeu que o Brasil seja o “primeiro país tropical desenvolvido da história”. O senador filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) prometeu criar políticas de incentivos para uma economia “verde e criativa”.
Num discurso hoje na capital federal, Mercadante afirmou que o primeiro grande desafio é o da sustentabilidade ambiental. “A transição para a economia verde representa muito mais oportunidades do que riscos e custos, ao contrário do que ocorre na maior parte dos países, especialmente dos países desenvolvidos que já têm, em geral, matriz energética mais suja”, disse.
Mercadante destacou ainda que é preciso desenvolver a indústria do conhecimento com incentivos para inovação e produção de pesquisas, além de ampliar o marco regulatório do incentivo à pesquisa.
“Não há país tropical desenvolvido no mundo. Não temos modelo a seguir, nós estamos a criar nosso próprio modelo e temos todo o potencial para sermos o primeiro país tropical desenvolvido, se efectivamente avançarmos rumo à sociedade do conhecimento e à sustentabilidade ambiental”, disse.
Actualmente, o Brasil aplica 1,25 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no sector de ciência e tecnologia. A meta, segundo Mercadante, é atingir 1,53 por cento do PIB em quatro anos, com expectativa de que os recursos do ministério cresçam 10 por cento ao ano.
O novo ministro da pasta de Ciência e Tecnologia defendeu uma política de incentivo ao regresso de talentos ao país. Segundo o ministro, só nos Estados Unidos cerca de três mil professores brasileiros leccionam em universidades.
A repatriação de investigadores brasileiros que estão fora do país é uma das metas de Mercadante para os próximos quatro anos sob o mandato da Presidente Dilma Rousseff. O senador Aloizio Mercadante foi contemplado com o cargo depois de ter sido derrotado na disputa pelo governo de São Paulo. Militante do PT paulista, Mercadante é formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre pela Universidade de Campinas (Unicamp).

Fonte: Ciência Hoje, Portugal.